Quais são os melhores carros para comprar pensando em revenda?

O mercado de seminovos e usados continua em alta Com a diminuição das ofertas com IPI...

O mercado de seminovos e usados continua em alta. Com a diminuição das ofertas com IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) reduzido, zero entrada e prestação sem juros — somada à instabilidade econômica no país —, muitos procuram pelos veículos com alguns quilômetros rodados como solução na hora da aquisição ou troca.

Por conta disso, entendemos que este é o momento ideal para investir na sua frota. Mas, antes, é fundamental descobrir quais os carros mais fáceis de vender, pois é justamente essa estratégia que garantirá a alta rotatividade de modelos na sua loja. Então, não perca a chance de aumentar suas vendas, acompanhando esta leitura!

O funcionamento do mercado de revenda de automóveis

Tecnicamente, esse mercado se baseia na compra de modelos subvalorizados para então, revendê-los ao efetivo valor de mercado. Para tanto, os lojistas trabalham com opções e modalidades de troca ou, simplesmente, com a disponibilidade de caixa para comprar dos consumidores que precisam de dinheiro rápido.

Em ambas as abordagens, existe a oportunidade para se fazer dinheiro. Outra boa tática de aquisição para o estoque é garimpar portais automotivos especializados, como a OLX, em que se concentram milhões de anúncios mensais, com uma série de bons negócios a serem feitos — seja no seu bairro, cidade ou estado!

O crescimento do setor no país

De acordo com dados divulgados pela Fenabrave — Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores —, a venda acumulada de seminovos e usados cresceu 6,36% em 2017. Segundo a Fenauto (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores), a venda de seminovos com até três anos de uso teve aumento de 24% em 2016.

A busca por usados também apresentou um crescimento significativo: 25% por veículos com até quatro anos e 52% para aqueles com mais de nove anos de fabricação. As razões são muitas. Falamos logo no início sobre a diminuição das ofertas dos veículos zero-quilômetro, mas essa é apenas parte da resposta. Automóveis novos sofrem maior depreciação. Para os modelos nacionais, pode ser de 20% a 30% nos primeiros dois anos. Para os importados, esse valor chega a 50%.

Os consumidores também perceberam outras vantagens. Pela mesma faixa de preço de um novo, é possível conseguir um usado ou seminovo de modelo superior. As apólices de seguro para esses automóveis costumam ter propostas mais atraentes — e isso vem ganhando importância principalmente para moradores das grandes cidades brasileiras, ou seja: é um carro muito melhor e com segurança por um valor acessível.

A importância de conhecer os melhores carros para comprar

Para aproveitar o mercado em alta, é preciso descobrir quais são os melhores carros para comprar. É necessário realizar uma vistoria minuciosa de cada oportunidade encontrada para revenda e, se preciso, firmar parceria com um mecânico de confiança.

Outro passo importante é estar bem-informado. A Tabela Fipe pode ser um ótimo indicador tanto para investigar o preço de compra quanto para saber quanto cobrar por cada automóvel, já que ela representa os valores médios de cada modelo, atualizados mensalmente.

Os 18 carros mais fáceis de vender

Uma pesquisa divulgada em março mostrou quais carros os lojistas mais procuraram no ano de 2016 na hora de refazer o estoque. Ela leva em consideração o volume de comercialização de cerca de 1,5 mil concessionárias e 20 mil revendedores. Sendo assim, consideramos tanto esse relatório como a nossa experiência de mercado para a elaboração da lista. Veja!

1. Volkswagen Gol

Lançado no Brasil no início da década de 1980, esse é um dos modelos que costuma estar presente nas listas dos modelos nacionais mais populares, com 8,7 milhões de unidades fabricadas.

Embora o auge do Gol já tenha passado, ele tem versões com motor 1.0 e 1.6 e freios ABS desde 2014, e continua sendo uma boa opção, com manutenção barata.

2. Fiat Palio

Considerado por muitos uma versão mais bonita e moderna do antigo Uno (de design quadrado, que saiu de linha em 2014), o Palio é outro veículo com ótimo custo-benefício.

Comparado ao Gol, ele tem modelos melhores e com mais opcionais (ar-condicionado, direção hidráulica). Mas, talvez, por não ser tão antigo quanto o carro da Volkswagen, não conquistou ainda a confiança total dos consumidores.

3. Ford Fiesta

O Ford Fiesta é bem antigo (lançado em 1976) e popular na Europa. Chegou ao mercado brasileiro quase vinte anos depois — em 1995 — como um modelo importado. Depois de um ano passou a ter fabricação nacional.

Mesmo com uma média de preços mais alta do que outros populares, ele conquista por já vir completo de fábrica. Além disso, por ser menos visado do que um Gol, costuma ter valor de seguro acessível.

4. Volkswagen Fox

O Fox é o segundo da Volkswagen na lista. Espaçoso, alto (em comparação a outros hatch) e cheio de espaços para guardar objetos, ele é ideal para quem procura conforto.

Essa é uma opção boa para quem deseja um carro com maior status do que outros modelos populares, e que não se importa com os valores de manutenção mais altos.

5. Chevrolet Celta

Concorrente direto do Palio e do Gol, o Celta é um modelo criado e desenvolvido no Brasil. Saiu de linha depois de 15 anos de boas vendas — substituído pelo Onix —, mas ainda assim continua conquistando o mercado brasileiro.

Compacto e básico, ele é um veículo perfeito para quem está começando a dirigir e precisa de manutenção barata e simples.

6. Renault Sandero

O Sandero é outro modelo desenvolvido no país (usando as plataformas do Clio e do Logan). Foram lançadas dezessete versões apenas no Brasil, com motores 1.0 e 1.6. Ele veio para fazer frente aos modelos mais encorpados no estilo “aventureiro urbano” (como o Palio Weekend e o CrossFox).

7. Citroën C3

Compacto, o C3 conquistou o mercado brasileiro principalmente pelo espaço interno e motor flex. Embora a manutenção e as peças tenham valores mais elevados do que outros modelos da lista, ele é uma opção estilosa com acabamento de alta qualidade, direção leve e muito conforto.

8. Hyundai Tucson

O primeiro SUV da lista, ele teve inspiração em um alemão de luxo, o Porsche Cayenne. Ele é também o mais caro: as versões novas básicas superam os R$65 mil. Porém, o preço acompanha os benefícios, como potência 146 cv e motor turbo 1.6.

9. Fiat Uno

O Uno, o Gol e o Fusca talvez sejam três dos modelos mais representativos do carro popular brasileiro. A versão antiga, no caso do Fiat Uno, embora já fora de linha, ainda tem um mercado estável.

A facilidade na reposição das peças, a manutenção barata e a versão alta (Way) são atrativos para quem tem orçamento reduzido, mas precisa de um carro econômico e forte, mesmo que não seja muito bonito ou moderno.

10. Peugeot 207

Já aqui, um destaque especial para o pequenino 207. Seguro e robusto, o modelo tem alternativas de motor 1.4 e 1.6, porém requer cuidado. Principalmente por conta da baixa suspensão, ele é uma boa opção para quem roda em grandes centros urbanos.

11. Chevrolet Corsa

Da forma como percebemos, o Corsa é um conhecido de longa data do consumidor brasileiro. Originalmente lançado em 1994, o compacto atravessou gerações, estilizações e, até mesmo, mudanças de nome. O termo Corsa foi amplamente utilizado pelos Hatches e Sedans da família até meados de 2009.

Já em 2010, a Chevrolet adotou o nome Classic para o Sedan da geração anterior, tornando o nome Corsa uma exclusividade ao Hatch e Sedan da nova linha, que perdurou no mercado até meados de 2016. Encontrados em versões 1.04, 1.4 e 1.8, os modelos ainda são bastante queridos pelos fãs da marca.

12. Honda HR-V

Temos um dos modelos que surfou no absoluto sucesso dos SUVs. Afinal de contas, o HR-V fora lançado no Brasil em 2015, conquistando um lugar no coração e nas garagens de muitos brasileiros. Em nossa visão, a Honda foi cirúrgica no desenvolvimento do modelo, entregando uma carroceria robusta, mas com igual preocupação com a estética.

Quase que de maneira unânime, o HR-V segue sendo considerado um carro absolutamente bonito, muito por conta de suas linhas bem resolvidas e livres de exageros. Além disso, o modelo também é bem-visto pelo mercado por ser um produto Honda, herdando toda a fama de durabilidade do pós-venda que é inerentes às marcas japonesas.

13. Hyundai HB20

Precisando construir uma presença marcante em nosso mercado, a Hyundai lançaria o seu produto mais bem-sucedido até hoje, o compacto HB20. Focando em um público despojado, o Hatch lançado em 2012 conseguiu uma projeção astronômica no mercado nacional, inclusive, rivalizando com o líder da categoria, o Onix.

Assim como acontece com os modelos japoneses, as montadoras sul-coreanas também fizeram um excelente trabalho de reconhecimento de marca, rompendo o preconceito inicial e, hoje, se consolidando como uma das fabricantes prediletas do consumidor, tanto pela qualidade na construção do modelo como pela atenção oferecida no pós-vendas da marca.

14. Volkswagen Up!

Enfim, chegamos em um modelo que não tem medo de ser compacto. Para nós, o Up! foi uma aposta contundente da marca alemã em trazer um produto global, extremamente seguro e moderno para o nosso mercado. Em seu lançamento, em meados de 2014, o modelo era cotado como o sucessor espiritual do que o Gol fora na década de 1990.

No entanto, o pequenino europeu não conseguiu converter esses trunfos em realidade, muito por conta de seu tamanho. Ainda assim, o modelo continua como uma excelente opção no mercado de seminovos e usados, pois é uma escolha absolutamente racional para quem busca tecnologia e segurança em um corpo compacto.

15. Volkswagen Golf

Historicamente, o Golf sempre foi um veículo de impacto no mercado nacional, seja quando chegou por aqui em 1995 ou com a sétima geração, lançada em 2013. O grande ponto é que o modelo mantém sua presença emocional forte no imaginário popular, sendo um carro altamente procurado.

O maior destaque fica por conta da 7ª geração, que reintroduziu o Golf no Brasil em sintonia com o último modelo europeu sendo, inclusive, inicialmente importado da Hungria. Com o tempo e a flutuação do dólar, a importação encareceu o modelo, fazendo o setor de seminovos lucrar, assim como os proprietários de curto prazo que revenderam o veículo com uma depreciação mínima.

16. Fiat Toro

Ainda que não seja a escolha mais racional do mercado, enquanto lojista, o importante é analisar o potencial rotativo de cada modelo. Com isso em mente, é fácil notar a excelente jogada que a Toro foi para a Fiat Brasil, que se aproveitou do momento e da parceria certa para lançar o modelo ao mercado.

Pois veja, tecnicamente, a Toro tem muito a compartilhar com o Jeep Renegade, o que chamou a atenção do consumidor. Além disso, o visual futurista e robusto de uma caminhonete urbana convenceu uma legião de fãs, que até hoje buscam as melhores oportunidades no mercado de usados e seminovos.

17. Toyota Corolla

Sem sombra de dúvidas, este é o modelo que aproveita da melhor reputação histórica em todo o mercado, não somente no Brasil, mas no restante do mundo. Afinal de contas, o Corolla ainda é o carro mais vendido da história, contabilizando mais de 40 milhões de unidades emplacadas.

Na realidade, esse é o modelo responsável por construir a imagem de robustez e confiabilidade mecânica da indústria automotiva japonesa. Desde sua primeira geração, em 1966, o Corolla fora projetado para ser um carro universalmente bom. Então, em poucos anos, o simpático Sedan japonês conquistou o consumidor mais conservador do mundo, convencendo o motorista norte-americano da robustez da marca — em plena era dos muscle cars.

Por conta disso, o DNA do Corolla é o mesmo até hoje, não conquistando as pessoas pela diversão durante a pilotagem, mas sim pela simplicidade objetiva com que o carro funciona. Por esse minimalismo, o modelo é historicamente bem-avaliado no marketing boca a boca, como um carro que não quebra e cumpre a sua função de deslocamento, com obediência e previsibilidade.

18. Toyota Hilux

Para finalizar, uma legítima caminhonete para o trabalho. Surfando na validação da própria marca, a Hilux não faz feio no segmento, sendo constantemente utilizada pelo público urbano ou em aplicações operacionais de campo, seja na construção civil ou no agronegócio.

Por conta disso, até hoje o modelo zero-quilômetro mantém um favoritismo absoluto em seu mercado, emplacando mais de 40 mil unidades novas no ano de 2019, apesar do crescente ticket médio. Para se ter uma ideia, as concorrentes imediatas registraram os seguintes resultados: S10 (32.161), Ranger (22.218) e Amarok (18.911).

Sendo assim, o que não faltam são opções para que você participe e aumente o seu público-alvo. Ainda assim, como pôde ver, existe uma predominância de Hatches compactos e populares na lista, o que também reflete nos modelos mais vendidos entre os zero-quilômetro.

Agora que você já conhece os carros mais fáceis para vender na sua concessionária, fique atento às oportunidades do mercado. E não deixe de conferir as nossas dicas para fazer um anúncio de automóvel perfeito para vender rápido!

Receba nossos conteúdos em seu e-mail

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.