O que é ATPV-e? Conheça as principais mudanças!

Seguindo a tendência de digitalização, os documentos de transferências de veículos vêm sofrendo algumas mudanças. Confira o que o é ATPV-e

o que é atpv-e

Em um mundo cada vez mais digitalizado, saber o que é ATPV-e faz toda a diferença para quem atua no mercado de revenda de veículos. E isso independentemente de você ser profissional autônomo ou proprietário de uma loja especializada.

A cada ano, novidades vão surgindo, e você precisa ter atenção a elas para que seu negócio não seja passado para trás pelos seus concorrentes. Procedimentos e documentos, que antes eram físicos, passaram a existir no mundo digital. A APTV-e é um exemplo clássico dessa mudança.

Neste artigo, mostraremos detalhadamente o que é ATPV-e, qual é a sua importância no segmento automotivo e como ele pode ser gerado. Continue lendo!

O que é ATPV-e?

A sigla ATPV-e significa Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo eletrônica. O documento foi trazido para o cenário brasileiro no início de 2021 pela Resolução 809/2020. O objetivo é substituir os antigos procedimentos de transferência.

A ATPV-e surge na esfera dos outros documentos digitais que temos na atualidade, como o Certificado de Registro e Licenciamento Anual de Veículos eletrônico (CRLV-e). Nesse sentido, o documento impresso em papel-moeda que tínhamos não será mais emitido, nem a autorização para transferência que vinha em branco no verso.

Nesse caso, para transferir a propriedade de um carro, será preciso solicitar ao Detran do estado a Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo eletrônica (ATPV-e). Essa solicitação pode ser feita presencialmente, bem como nos canais digitais. Contudo, esta última opção está disponível apenas nos estados em que o processo de documento online já estiver implementado.

Assim, o documento é emitido e preenchido pelo sistema. Ele vem com um QR Code para garantir a segurança. A partir de então, o cliente comprador e o vendedor dirigem-se ao cartório para fazer a assinatura e o reconhecimento de firma. Eventualmente, se ambos os lados da transação tiverem um certificado digital válido, o procedimento pode ser feito por meio do app da Carteira Digital de Trânsito (CDT) ou diretamente nos portais do Detran ou Denatran.

Qual é a sua importância?

A importância desse tipo de documento é tornar os procedimentos de transferência mais simples e rápidos. Durante anos, a transferência de veículos era feita por meio de um documento físico que deveria ficar armazenado com o proprietário até o dia da venda.

Se ele fosse perdido, era necessário o pagamento de uma taxa para emitir a segunda via. Para os revendedores de veículos, essa novidade é ainda mais interessante. A ATPV-e tornará o dia a dia mais simples e rápido. Assim, quando você fizer uma nova venda, poderá realizar a transferência rapidamente, sem as burocracias do passado.

Além disso, esse documento é importante para agilizar o dia a dia da sua revenda de veículo. Tendo em vista que o processo de transferência se tornou mais ágil e simples. O que permite ao vendedor/ consultor orientar melhor seu cliente quanto á mudanças de posse do veículo adquirido.

Quais são as principais mudanças da ATPV-e?

Agora, mostraremos as principais mudanças que tivemos com a implementação da ATPV-e. Continue lendo e veja quais são elas.

Os seus anúncios de veículo estão chamando a atenção do público?

Digitalização de documentos

Uma das principais mudanças da ATPV-e pode ser encontrada na digitalização de documentos. Com o surgimento dessa novidade, o documento antigo deixou de existir. Os usuários que ainda o têm podem migrar para o documento digital em uma próxima transferência.

O CRV e o CLA foram integrados ao CRLV-e

Outra mudança é que o Certificado de Registro de Veículos (CRV) e o Certificado de Licenciamento Anual (CLA) foram incorporados ao Certificado de Registro e Licenciamento Anual de Veículos eletrônico (CRLV-e). Esses foram documentos que também migraram para o mundo digital, empurrando a ATPV-e para esse universo de revenda de veículos com maior agilidade e confiabilidade.

Esses benefícios podem ser aproveitados pelos clientes, bem como os revendedores. Afinal, com esse processo mais otimizado não é preciso dedicar tanto tempo na transferência e emissão de documentos após a venda.

Assinatura eletrônica

Por fim, a resolução que deu origem à ATPV-e também tornou possível a assinatura eletrônica em alguns casos. Ela já é permitida em uma série de outros procedimentos. Até mesmo para fazer um financiamento já é possível assinar os documentos eletronicamente, com ou sem o uso de certificado digital.

Assim, o processo de transferência de veículos, seguindo a tendência nacional de digitalização, aportou essa possibilidade à ATPV-e. Logo, se você pretende vender carro, é possível fazer o procedimento de assinatura desse documento eletronicamente.

Qual é o passo a passo para fazer a emissão da ATPV-e?

O objetivo da digitalização de documentos é tornar os processos mais simples e rápidos. Logo, o passo a passo para a emissão da ATPV-e não poderia ser complicado. Contudo, é possível que existam procedimentos diferentes para ter acesso ao documento em cada estado.

Em alguns locais, ainda é preciso comparecer presencialmente à sede do Detran. Geralmente, o vendedor baixa um formulário no site do órgão, preenche os dados do veículo e agenda um horário para ser atendido. Em outros casos, o procedimento é feito totalmente online. Basicamente, os passos são os seguintes:

  • inicialmente, é preciso entrar no site do órgão e encontrar o serviço de registro e transferência. Provavelmente, o sistema exigirá algum tipo de autenticação ou fornecimento de informações do veículo para entrar no cadastro do carro que será vendido;
  • depois disso, o vendedor ou proprietário seleciona a opção da ATPV-e do carro que deseja transferir;
  • feito isso, basta preencher todos os campos solicitados com os dados do carro, bem como do comprador e vendedor;
  • por fim, basta aceitar os termos da transferência, finalizar a emissão e imprimir o arquivo gerado em PDF.

Após emitido o documento, é preciso ter cuidado com alguns pontos importantes. Primeiro, independentemente de ser um documento físico ou digital, o reconhecimento de firma em cartório é imprescindível para a efetivação da transferência.

Além disso, vale a pena lembrar que, assim como ocorria nos documentos antigos, o carro deve ser transferido em até 30 dias a contar da efetivação do negócio. Caso contrário, essa prática pode configurar infração grave pelo Código de Trânsito Brasileiro, com aplicação de multa de R$ 195,23 e 5 pontos na carteira.

Mais importante do que saber o que é ATPV-e é entender o funcionamento do processo no seu estado. Portanto, busque informações o mais rápido possível. Dessa forma, você não perde tempo tentando descobrir como o procedimento funciona na hora de vender algum carro.

Gostou deste artigo? Então aproveite e entre em contato conosco!

Inscreva-se pra não perder nada!

É só cadastrar o seu email que a gente te atualiza de todas as novidades por lá.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.